sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Oswaldo Montenegro: A Lista!!!


Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais...

Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar...

Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora?

Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?

Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?

Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Feliz da Vida!!!


A Idade de Ser Feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar
e fazer planos e ter energia bastante para realiza-los
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encontrar com a vida
e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.
Fases douradas em que a gente pode criar e recriar a vida
à nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores sem preconceito, nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio
é mais um convite à luta que a gente enfrenta
com toda disposição de tentar algo NOVO,
de NOVO
e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.
Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se: PRESENTE !!!!
E tem a duração...
do instante que passa...

Mário Quintana

************************************************************

A todos que se lembraram de mim no dia hoje,

aos que me deram, muito, mas muito carinho mesmo...

Agradeço, do fundo do meu tresloucado coração!!!

Fizeram com que meu dia fosse prá lá de especial e feliz!!!

Mais um "instante" que foi escrito nesse livro

amalucado que é a minha história...

Agradeço a Deus a dádiva de, literalmente,

mais uma primavera...

Beijossssssss

Denise 29/09/2011

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Nando Reis... Muito Estranho!!


Quero apenas cinco coisas..
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera
para que continues me olhando...

Pablo Neruda

domingo, 25 de setembro de 2011

Charles Chaplin: Quando me amei de verdade!!!


Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância,
eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia,
meu sofrimento emocional, não passa de um sinal
de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é... Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida
fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece
contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo
tentar forçar alguma situação ou alguém
apenas para realizar aquilo que desejo,
mesmo sabendo que não é o momento
ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar
de tudo que não fosse saudável...
Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo.
De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre
e desisti de fazer grandes planos,
abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto,
quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e,
com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado
e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente,
que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente
pode me atormentar e me decepcionar.
Mas quando a coloco a serviço do meu coração,
ela se torna uma grande e valiosa aliada.

Tudo isso é... Saber viver!!!

Charles Chaplin

Fly Away From Here... Aerosmith


Just fly...

Lindo Domingo a Todos!!!

-"Vou sair, tá?"

- "Tá, Tchau!"



"Afff Não é assim a brincadeira!

É pra você pedir pra eu ficar e dizer que me ama, entendeu?

Vamos começar de novo!!!"


************


kkkkkkkk adoreiiiii


Bom Domingo a todos!!!

:D Beijossss


Denise - 25/09/2011

Amada Amante... Roberto Carlos



Ameiii!!!! Muuuito lindo...

Há tempos não recebia um carinho tão especial...

Tão especial quanto quem o ofereceu!!!

São essas surpresas inesperadas que a vida nos traz

que nos ajudam a manter o passo firme

e seguro na caminhada dura da vida...

Alegrando e trazendo as mais belas cores aos nossos dias...

(e sem tricolor!!! afff Nem pensar!!! rsrsrs)

Obrigada, ANJO querido!!!!

Beijo Beijo Beijo...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Noturno... Fagner


O aço dos meus olhos
E o fel das minhas palavras
Acalmaram meu silêncio
Mas deixaram suas marcas...


Se hoje sou deserto
É que eu não sabia
Que as flores com o tempo
Perdem a força
E a ventania vem mais forte

Hoje só acredito
No pulsar das minhas veias
E aquela luz que havia
Em cada ponto de partida
Há muito me deixou...

Aiiii, Coração alado
Desfolharei meus olhos
Nesse escuro véu
Não acredito mais
no fogo ingênuo da paixão
São tantas ilusões
Perdidas na lembrança...


Nesta estrada
Só quem pode me seguir sou eu ...


Sou eu...

sou eu...

sou eu...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Meu Plano... Daniela Mercury


Para você

Meu querido...

Imperador do meu coração...

Anjo da Minha alma...

Mestre dos meus sentidos...

Tenha um lindo dia!!!! E prepare-se, pois sou

eu quem ganhará essa nossa aposta hoje!

Certeza!!!! (medooo! rsrsrs)

Até mais ...

Beijo Beijo Beijo

domingo, 18 de setembro de 2011

Independente Futebol Clube... Ultraje a Rigor

The 80´s again... Great!!! Hehe


Eu não sou seu
Eu não sou de ninguém
Você não é minha
Eu não tenho ninguém
Nós somos livre
Independente futebol clube
Você não manda em mim
Eu não mando em você
Eu só faço o que eu quero
Você só faz o que quer
Nós somos livres
Independente futebol clube

Se a gente tá assim
Comendo capim
É porque a gente quer
E se não quiser
Nós somos livres
Independente futebol clube (x2)

Você não manda em mim
Eu não mando em você
Eu só faço o que eu quero
Você só faz o que quer
Nós somos livres
Independente futebol clube

sábado, 17 de setembro de 2011

Eu Tenho um Sonho... Martin Luther King Jr.


É melhor tentar e falhar, que preocupar-se

e ver a vida passar...

É melhor tentar, ainda que em vão,

que sentar-se, fazendo nada até o final...

Eu prefiro na chuva caminhar,

que em dias frios em casa me esconder...

Prefiro ser feliz embora louco,

que em conformidade viver...


Martin Luther King Jr.


***********


http://www.youtube.com/watch?v=0CGMl-y77Bs&feature=related

***********

Eu nasci em um tempo de forte anseio de luta

pela liberdade e libertação...

Sou filha da opressão, guardo resquícios dela

na prática, sou imperfeita...

Mas o que me importa é o desejo que trago, historicamente,

de gestar e parir essa liberdade!

De embalá-la nos braços, acariciá-la, cuidá-la,

alimentá-la em meus seios, fortalecê-la e fazê-la crescer,

dar-lhe as raízes da minha luta, mas também asas dos meus sonhos...


Porque eu, assim como Luther King,

também eu, tenho um sonho...


“...de sermos livres, afinal...”

De todo preconceito que há...


Denise 17.09.2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Edmundo, o Céptico... Cecília Meireles



Edmundo, o Céptico

Cecília Meireles


Naquele tempo, nós não sabiamos o que fosse cepticismo. Mas Edmundo era céptico. As pessoas aborreciam-se e chamavam-no de teimoso. Era uma grande injustiça e uma definição errada.

Ele queria quebrar com os dentes os caroços de ameixa, para chupar um melzinho que há lá dentro. As pessoas diziam-lhe que os caroços eram mais duros que os seus dentes. Ele quebrou os dentes com a verificação. Mas verificou. E nós todos aprendemos à sua custa. (O cepticismo também tem o seu valor!)

Disseram-lhe que, mergulhando de cabeça na pipa d'água do quintal, podia morrer afogado. Não se assustou com a idéia da morte: queria saber é se lhe diziam a verdade. E só não morreu porque o jardineiro andava perto.

Na lição de catecismo, quando lhe disseram que os sábios desprezam os bens deste mundo, ele perguntou lá do fundo da sala: "E o rei Salomão?" Foi preciso a professora fazer uma conferência sobre o assunto; e ele não saiu convencido. Dizia: "Só vendo." E em certas ocasiões, depois de lhe mostrarem tudo o que queria ver, ainda duvidava. "Talvez eu não tenha visto direito. Eles sempre atrapalham." (
Eles eram os adultos.)

Edmundo foi aluno muito difícil. Até os colegas perdiam a paciência com as suas dúvidas. Alguém devia ter tentado enganá-lo, um dia, para que ele assim desconfiasse de tudo e de todos. Mas de si, não; pois foi a primeira pessoa que me disse estar a ponto de inventar o moto contínuo, invenção que naquele tempo andava muito em moda, mais ou menos como, hoje, as aventuras espaciais.

Edmundo estava sempre em guarda contra os adultos: eram os nossos permanentes adversários. Só diziam mentiras. Tinham a força ao seu dispor (representada por várias formas de agressão, da palmada ao quarto escuro, passando por várias etapas muito variadas). Edmundo reconhecia a sua inutilidade de lutar; mas tinha o brio de não se deixar vencer facilmente.

Numa festa de aniversário, apareceu, entre números de piano e canto (ah! delícias dos saraus de outrora!), apareceu um mágico com a sua cartola, o seu lenço, bigodes retorcidos e flor na lapela. Nenhum de nós se importaria muito com a verdade: era tão engraçado ver saírem cinqüenta fitas de dentro de uma só... e o copo d'água ficar cheio de vinho...

Edmundo resistiu um pouco. Depois, achou que todos estávamos ficando bobos demais. Disse: "Eu não acredito!" Foi mexer no arsenal do mágico e não pudemos ver mais as moedas entrarem por um ouvido e saírem pelo outro, nem da cartola vazia debandar um pombo voando... (Edmundo estragava tudo... Edmundo não admitia a mentira! Edmundo morreu cedo... E quem sabe, meu Deus, com que verdades?).


Texto extraído do livro "Quadrante 2", Editora do Autor - Rio de Janeiro, 1962, pág. 122.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Sinto Vergonha de Mim...



SINTO VERGONHA DE MIM!


"Por ter sido educadora de parte desse povo,

por ter batalhado sempre pela justiça,

por compactuar com a honestidade,

por primar pela verdade

e por ver este povo já chamado varonil

enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim

por ter feito parte de uma era

Que lutou pela democracia,

pela liberdade de ser

e ter que entregar aos meus filhos,

simples e abominavelmente,

a derrota das virtudes pelos vícios,

a ausência da sensatez

no julgamento da verdade,

a negligência com a família,

célula-mater da sociedade,

a demasiada preocupação

com o "eu" feliz a qualquer custo,

buscando a tal "felicidade"

em caminhos eivados de desrespeito

para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim

pela passividade em ouvir,

sem despejar meu verbo,

a tantas desculpas ditadas

pelo orgulho e vaidade,

a tanta falta de humildade

para reconhecer um erro cometido,

a tantos "floreios" para justificar

atos criminosos,

a tanta relutância

em esquecer a antiga posição

de sempre "contestar",

voltar atrás

e mudar o futuro.

'Tenho vergonha de mim

pois faço parte de um povo

que não reconheço,

enveredando por caminhos

que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,

da minha falta de garra,

das minhas desilusões

e do meu cansaço.

Não tenho para onde ir

pois amo este meu chão,

vibro ao ouvir meu Hino

e jamais usei a minha Bandeira

para enxugar o meu suor

ou enrolar meu corpo

na pecaminosa manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,

tenho tanta pena de ti, povo brasileiro!

"De tanto ver triunfar as nulidades,

de tanto ver prosperar a desonra,

de tanto ver crescer a injustiça,

de tanto ver agigantarem-se os poderes

nas mãos dos maus,

o homem chega a desanimar da virtude,

a rir-se da honra,

a ter vergonha de ser honesto".


Texto de Cleide Canton e Ruy Barbosa

Declamado por Rolando Boldrin


domingo, 11 de setembro de 2011

Eu Queria... Um último abraço...

Música: All You Need is Love - Beatles


EU QUERIA...


Trazer de volta alguém "do céu"....

e passar um dia com essa pessoa,

só mais uma vez, uma última vez ,


dar-lhe um último abraço,


um último beijo e dizer-lhe adeus!

Ou ouvir a sua voz novamente...

Ter outra chance de dizer "eu te amo"!

(desconheço o autor)

10 anos do atentado ao WTC nos EUA: O que será que estamos ofertando ao mundo?

Muito me intriga as contradições do ser humano... É empolgante refletir sobre isso!

Vem destruindo o nosso Planeta com suas ações egoístas e irrascíveis há séculos... E quando a natureza reclama... Óh Deus porque me abandonaste???!!!

Não pensa duas vezes antes de planejar e fazer o mal, e quando esse mal se volta contra si... Óh Deus, porque permitiu???!!!

Pensa que só se vive uma vez, questiona a idéia de que nesse mundo, já "fomos" e ainda "seremos", e não se pergunta, não se questiona, o que justifica, o porque de uns terem tanto outros nada. Quando questionam, pensam que só a ciência e a racionalidade respondem todas as questões, assim como, por exemplo, o porque de uns nascerem para sofrer desde tenra idade e outros só recebem as benesses da vida fácil ! Então, o que justifica?

Quer liberdade! Precisa disso para se auto-afirmar. Não aceita conselhos, opiniões, ajuda, por vezes preocupação e carinho... Se julga auto-suficiente! Pode cometer as mais absurdas iniquidades contra si e ao outro. Mas não se responsabiliza pelas próprias escolhas. É mais fácil questionar que: se Deus fosse bom, não permitiria o mal que hora se abate sobre mim... A culpa é de Deus!!! Como se pudéssemos sempre cometer erros, equívocos e Deus para ser bom, tem que ir lá e consertar tudo...

Tentem fazer tudo que quer uma criança desde que ela nasce, não lhe dê limites, não deixe que leve tombos, perdoe tudo sempre, não dê a ela a chance de sofrer consequência dos seus atos... Limpe sempre a "sujeira" dela... Você verá que ser humano ela irá se transformar... Tem gente que age assim com seus filhos... Piedade e misericórdia para eles!!!!

É sempre assim. Quando algo dá errado, Deus é o responsável! Não se questiona o papel do ser humano na sociedade, no mundo, sua natureza, suas ações... Se questiona a permissividade de Deus! Afinal, porque Ele permite o sofrimento humano? Porque não evitou, se poderia? Então... Não é? Oras... Não seria porque Ele, Deus, nos atendeu? Não queríamos ser livres? Oras... será que Ele não está apenas permitindo que soframos as consequências, tão e somente as consequências, de nossas próprias e históricas escolhas?

Para cada ação uma reação!!!!

Se considerarmos a existência humana apenas do ponto de vista desta vida, não se justifica realmente essa "regra" essa "lei", mas... Se considerarmos do ponto de vista de que já tivemos outras existências, que essa atual não é a única e última, que ainda teremos outras existências depois desta, sim! Aí há nexo... Não só no sentido individual, mas também no coletivo!

Há quem pense que o que acontece no mundo está fora do seu mundinho particular e não lhe pertence, está fora dos seus domínios, das suas responsabilidades. Há quem pense que aquilo que acontece no seu universo particular não é resultado de uma ação maior, quer política, econômica, social ou de forças que não entendemos ainda... Pois bem... Não? Certeza?

Admiro quem tem certezas...

Não consigo tê-las, prefiro sempre deixar a porta das certezas encostada ou entreaberta... Vai que... Não é?

Eu penso que a maior dificuldade do ser humano é ter que assumir que aquilo que dá errado é responsabilidade dele. Consequência de ações históricas ao longo da sua existência e da existência humana como um todo... E não ação de um Ser maior que é mau, ou que permite coisas ruins podendo evitá-las...

Não sei se Deus existe,
Não sei se Cristo existiu,
Não sei se há reencarnação...
Não sei...
Acredito que sim... Mas acreditar é profissão de fé!
Não sou instruída ainda para responder com certeza a essas questões.
Acredito nos indícios... Nas pistas...
Então, presumo que sim, para todas essas questões...

No entanto me recuso a creditar o que quer que seja de ruim que ocorre a outrem, que não seja o próprio ser humano... Prefiro sempre pensar que poderíamos ter evitado, de alguma forma a consequência de um sofrimento!! Não sou simpática a vitimizações...

E, também, me recuso a usar Deus, Cristo, ou minhas crenças para justificar o abuso e o preconceito, na maneira de enxergar o mundo. Há tantos desmandos históricos quanto a isso que só alimentaram e ainda alimentam desgraças. Gente que se apropriou ou se apropria do cristianismo, e/ou das bandeiras da fé e da religião para propagar insanidades e distorções que resultam nos mais atrozes sofrimentos...

Mas posso afirmar que acreditar na existência de uma justiça histórica, não endurece meu coração... Me solidarizo, sim, com o sofrimento humano... Mesmo dos que são estranhos a mim! Mesmo dos piores! Oro por eles, peço força e coragem, oro pela misericórdia do Deus que acredito... Peço saúde, alegria, realizações, proteção, esperanças, sonhos, paz... Peço que Deus não atenda aos desejos daqueles que não lhe querem nas suas vidas. Procuro agir para melhorar a vida de quem sofre, sei que não faço tudo que posso, mas sim o que consigo, o que meu egoísmo permite. Peço que Deus possa enviar a cada um, os seus anjos protetores... Desejo-lhes o que há de melhor... Mesmo ao mais vil...

Essa crença eu também tenho: De que recebemos aquilo que somos capaz de dar... e que devolvemos ao mundo o que recebemos... Como, sou imperfeita que só, e na maioria das vezes não consigo dar o que há de melhor... Então, assumo a parte que me cabe nesse legado da miséria humana! Ou pela ação ou pela inércia!

Tudo que acontece de ruim não tem a ver com Deus não!
É próprio do ser humano mesmo...


Cabe deixar aqui uma nota, minhas opiniões são apenas minhas opiniões, reflexões, devaneios... Escrevo porque - o que penso e sou -, não me cabe! Transborda... Nenhuma pretensão há em divulgar, ou afirmar "verdades", vejo-as tão voláteis... Não as tenho, certeza! Certeza? rsrsrs

São apenas reflexões nesse 11/09/2011 - 10 anos do atentado ao WTC nos EUA

Perguntas que fazemos sempre que ocorrem essas tragédias que nos impactam: por que?

Já eu me pergunto também:
O que será que estamos ofertando ao mundo
para receber tudo que temos recebido em troca??

Bom domingo a todos!
Denise, 11/09/2011